“essa eu chupo de manhã, de tarde e de noite” – 1258

1258 –  Eu tinha uns 13 anos e como toda sexta feira, eu ia para a feira de rua, perto da Rua Batatais, nos Jardins.  Em um dia que fui acompanhada com a minha empregada, um homem velho e nojento, todo suado, olhou pra mim e disse “essa eu chupo de manhã, de tarde e de noite”.
Eu fiquei totalmente chocada, não sabia o que fazer. Continuei andando. Perguntei para minha empregada se ela tinha ouvido, e ela disse que era normal.  Não acho nada normal, me senti muito mal e não é à toa que lembro disso até hoje, 11 anos depois. Triste e nojento.