Eu achei que aquilo não estava acontecendo – 777

[Relato feito por um homem]

777 – “Eu tenho um relato a fazer.
Estava eu voltando do trabalho em um ônibus, sentado na cadeira da janela. Lá pelas tantas entrou um grupo de 4 mulheres e como só haviam dois lugares (um ao meu lado e um atrás deste), duas sentaram e duas ficaram de pé. A que sentou do meu lado era grande, mas dava pra perceber que ela estava muito mais pro meu lado do que precisava.
O ônibus demora em média uma hora pra me deixar em casa, elas entraram antes da metade do trajeto, de modo que eu teria que ficar 40 minutos espremido lá no banco, beleza. Até então eu não havia entendido a atitude da moça ao meu lado, apenas achei que viajaria apertado. De repente ela começa a se esfregar na minha perna! Eu achei que aquilo não estava acontecendo, que era impressão minha e que ela estava apenas se ajeitando, e por ser mais gorda ela tinha dificuldade em se ajeitar, sei lá. Mas não era impressão, ela realmente estava esfregando a coxa na minha perna e teve uma hora que ela começou a colocar a perna mais pra cima como se quisesse colocar a perna em cima da minha. Eu não levantei por que fiquei com vergonha de admitir que aquilo estava acontecendo, e sinceramente fiquei assustado e absurdamente enojado com a situação, então ela levantou pra descer e tinha um prendedor de cabelo no banco. Eu não estava pensando direito e peguei o prendedor e fui dar pra amiga dela que estava perto, aí a minha ex vizinha escrota estendeu a mão pra pegar e me olhou de um jeito que se olha quando se está seduzindo alguém, o que me fez ficar com mais nojo ainda.
Depois eu fiquei pensando que se esta situação me deixou mal por uns três dias, como deve ser então pra uma mulher, que além de tudo ainda corre o risco de ser estuprada ou até morta. Por que por pior que tenha sido a situação, eu não estava com medo da mulher, pois se a situação se agravasse muito eu poderia resolver no braço, mas isso nem me passou pela cabeça, só pensava no desconforto que aquilo me deu.
Fiquei 3 dias mal e uma semana inventando desculpa pra minha mulher pois não tinha a menor vontade de fazer sexo.”