eu disse que não queria mais, mas ele não aceitou – 1037

1037 – Bom, meu caso não é bem uma cantada de rua, apesar de eu até ter algumas experiências desagradáveis pra contar. Isso é algo que eu ainda tenho certa dificuldade em contar mas, sinto necessidade de compartilhar pra que outras meninas que passaram por situações como a minha não se sintam sozinhas.

Quando eu tinha 15 anos, tive meu primeiro namorado, ele tinha 25, achava que estava amando, nem sabia o que era isso ainda, bem coisa de adolescente. Tonta, ingênua, acabei caindo naquele papo de “se vc me ama, prove”, ele disse que eu nunca mais o veria se não transasse com ele, e eu não queria transar tão cedo, não queria mesmo, mas acabei aceitando. No dia me senti muito mal, disse que não queria mais e pedi pra me levar embora, mas ele insistiu, me fez beber e acabou acontecendo. Foi horrível, ele não foi nada delicado, e eu não via a hora de acabar. Quando cheguei em casa me sentia suja, humilhada, chorei até não poder mais, o sentimento era de como se eu tivesse sido estuprada, foi a pior sensação que eu experimentei na vida, e o pior foi depois, pq claro que era só isso que ele queria, não me procurou mais e quando o vi em frente a escola virou a cara pra mim, depois fiquei sabendo que já estava com outra garota.
Tudo em mim mudou depois disso, eu me fechei, tenho dificuldade pra me relacionar, sofro de distimia, não lido muito bem com sexo e tomo antidepressivos a bastante tempo. Por muito tempo achei que eu estava exagerando, me sentia a culpada e por isso tinha vergonha e tentava esconder o que aconteceu até de mim, mas vendo tantas outras meninas que passaram por experiências parecidas, que sofrem ou sofrerão por situações como essa, eu resolvi me livrar desse peso. Hoje, se tenho oportunidade compartilho minha experiência, principalmente pra que outras meninas que passaram por algo parecido possam se sentir encorajadas a compartilhar tbm, pra não se sentirem sozinhas, fracas ou exageradas, e tbm pra servir de alerta pra que outras não passem pela mesma situação.

 

[Comentário] – Ele estuprou você, não há outro nome para isso. Você disse ‘não’, ele não respeitou e se valeu de sua inexperiência e fragilidade emocional para simplesmente usá-la e jogar fora. Ele é um crápula, e você não teve culpa de nada.