“Eu pegava todas! Menos a do meio!” – 1100

1100 – (Visão do assédio relatado por um homem:) Acabei de descobrir a página e já li quase 30 relatos, e cada um choca de um jeito diferente. Fui lendo e lembrando de coisas que eu já presenciei e decidi compartilhar.

Na primeira situação eu devia ter uns 12 anos. Fui ao shopping com a minha prima e um homem grita pra ela, no meio de todo mundo, “Isso é que é mulher, não aquilo que eu tenho lá em casa”. Ela responde xingando e ele vai embora meio sem graça.

A segunda vez eu tinha uns 16, voltando pra casa com um amigo meu, ele vê uma mulher na rua e sugere que eu coloque a mão pra fora do carro pra bater na bunda da mulher. Ele até aproxima o carro da calçada pra eu poder acertar. Eu nem coloquei o braço pra fora.

A terceira eu tinha 18 anos. Eu e outro amigo estamos com as meninas que a gente ficava e mais uma amiga. As três entram no mercado e eu e meu amigo esperamos no carro. Quando um carro passa e algum idiota grita pras meninas “Eu pegava todas! Menos a do meio!”. Além de ofender as meninas com a cantada desnecessária, ele ainda ofende de novo, depreciando uma delas.

A quarta vez eu estava com a minha namorada em um restaurante e percebo que tem uns caras olhando pra ela. Ela não percebe, e eu tenho que ficar encarando os caras até eles ficarem sem graça e pararem de olhar.

Nas primeiras vezes eu não tive noção de que era um comportamento que incomodava as mulheres, só achava que os caras que faziam isso eram babacas. Só fui entrar em contato com o pensamento feminista na faculdade. Na ultima situação, com a minha namorada, eu até tive vontade de falar, mas por ter sido algo “rápido” e simples, não achei tão necessário. Mas acho que se tivesse falado, eles pensariam antes de fazer de novo em outra situação.