Eu retruco, eu me defendo, eu não aceito! – 1138

1138 – É repugnante, assustador, revoltante! Logo pela manhã, num lugar público como um terminal, se sentir engolida com um olhar e comentários podres de um cara que tem idade pra ser seu pai! O motivo? SER MULHER, sim, ser mulher, não importa o tamanho da roupa, até com uma jaqueta cobrindo até o pescoço e calça jeans uma mulher é alvo de olhares sujos e palavras horríveis! Ao retrucar se ouve xingamentos, palavras pesadas e NINGUÉM se importa. NÃO É ELOGIO, NÃO É BRINCADEIRA: É NOJENTO! É comum isso? É certo que “homens” que você não deu liberdade nenhuma, que estão apenas dividindo um espaço físico público, assediem assim? Comentem sobre o corpo das mulheres, olhem com aquela cara abominável e que nós permaneçamos caladas?

O que devemos fazer? Nessas horas não encontramos nenhuma proteção que não venha de nós mesmas. Nenhum guarda, nenhum cidadão, nenhuma empatia.

Eu retruco, eu me defendo, eu não aceito! O corpo é meu, sou livre pra ir e vir e tenho o direito de ser respeitada!

Mulheres não são objetos dispostos em estantes prontos a serem analisados, usados e jogados! Elogios nós recebemos de quem gostamos, de quem nos respeita, nos quer bem e que PERMITIMOS. Qualquer coisa contrária, que cause desconforto é sim errada! NÃO ACEITO E NÃO ME SUJEITO AO MACHISMO SUJO DE CADA DIA!