“Eu vou contar pra minha mãe” – 947

947 – Tenho 30 anos. Eu tinha acabado de fazer 15 anos e estava muito animada porque ia para uma nova escola, e minha mãe tinha conseguido construir nossa nova casa num lote que havia recebido e eu ia ter meu próprio quarto (Foi uma grande coisa mesmo, porque ela cuidava de nós dois sozinha, e trabalhava como ajudante de cozinha, antes dormíamos nós três: eu, meu irmão e minha mãe no mesmo quarto).

Nessa época um casal de primos e o bebê deles foram morar lá em casa, no barraco dos fundos, porque tinham tido problemas com a família pelo fato de serem primos, e ela ter ficado grávida.

Um dia eu estava sozinha em casa, meu irmão na escola e minha mãe no trabalho e a mulher dele tinha ido viajar com o bebê.

Eu estava deitada porque estava com febre e nisso ele entrou e no meu quarto, começou a conversar comigo tranquilamente, sobre a escola, e do nada começou a passar a mão no meu rosto. No começo eu achei que era um gesto de carinho, até que ele desceu para os meus seios, eu era muito muito tímida, até hoje sou na verdade e fiquei imóvel de choque.

Só que minha mãe sempre falava pra mim e meu irmão desde pequenos que se alguém tentasse “alisar” a gente ou forçar a fazer “algo”, não podia deixar e sempre poderia contar pra ela, se a pessoa ameaçasse ou algo do tipo e que ela nunca ia achar que era mentira.

Nisso eu juntei todas as minhas forças para parecer firme e falei com minha voz tremendo:

– Eu vou contar pra minha mãe.

Ele parou na hora e saiu sem falar nada. eu passei o resto do dia tremendo de medo. No dia seguinte ele e a mulher se mudaram sem falar nada.

Eu nunca cheguei a comentar nada disso com ninguém, mesmo sabendo que minha mãe teria acreditado e me apoiado mas achava que tinha feito algo errado ou que a deixaria magoada.

Ele nunca mais tentou nada comigo.

Mas eu evito qualquer contato com o resto da família até hoje.