falei inúmeras vezes que não queria – 1242

1242 – Namoro há 1 ano, aproximadamente, e sempre tivemos um diálogo bastante aberto e politizado. Sendo ambos militantes, em teoria, temos mais liberdade de dialogar temas como gênero e machismo que nos afeta diretamente em nossas vidas.

Todavia, há 2 meses, ocorreu um episódio que me dá raiva, ódio e nojo só de lembrar. Estávamos em um ambiente desfavorável, não estava disposta a ter relações naquele dia e decidi que EU não queria transar. Comuniquei isso ao meu companheiro, então ficamos apenas trocando carinhos o que, até aquele momento, estava sendo lindo e agradável. Até que ele não “conseguiu se aguentar”, como diz o imaginário popular, e começou a me penetrar. Nesse processo, falei inúmeras vezes que não queria naquele momento, que era pra ele parar, mas isso não foi suficiente para que ele parasse. Tive que chegar ao ponto de tirar ele de cima de mim, gerando uma situação deveras constrangedora.

Até quando esses “companheiros” que se dizem marxistas, socialistas, comunistas, anarquistas, libertários vão silenciar sua companheiras? Nunca tinha passado por uma situação dessas e até hoje me questiono sobre o que ocorreu.

No dia seguinte, expus minha raiva e disse que sua atitude foi sim machista, hostil e abusiva. Estamos juntos ainda depois deste episódio. Mas, ainda assim me questiono se isso ocorrerá novamente e se estarei disposta a suportar tamanha agressão ainda que o ame muito.

COMPANHEIROS, DEIXEM SUAS HIPOCRISIAS PROS SEUS PARTIDOS/MOVIMENTOS/COLETIVOS. SILENCIAR AS COMPANHEIRAS NÃO TEM VEZ CONOSCO!!