falou coisas mais nojentas que o olhar dele – Cantada 740

740 – “Acabei de sofrer mais um assédio. Não posso andar duas quadras sozinha, pra comprar comida, sem ser assediada. Justo hoje que saí sem meu canivete, um moço insiste em me olhar com aquela cara que conhecemos tão bem e falar coisas mais nojentas que o olhar dele. Tive que pedir pro moço do mercadinho me acompanhar até a minha casa. Tentei telefonar pra minha mãe, mas isso não resolveria, já que ela entende isso como elogio. Estou cansada.”