Foram 40 minutos que pareceram eternos – 2051

[TRIGGER WARNING – relato de estupro]

Bom, o meu caso aconteceu quando eu tinha apenas 12. Todos os dias eu voltava do colégio e ficava mais ou menos uns 40 min sozinha em casa, até a minha irmã chegar também do colégio, mas nesse dia parecia que 40 minutos eram 40 horas. Logo após eu entrar em casa e tirar meu tênis e calça, ouvi a minha cachorra latir, coloquei a calça de novo, quando fui abrir a porta, entrou um homem, alto, negro, sem camisa, com uma calça vermelha, e uma tatuagem de jesus crucificado no braço. Ele disse ” é um assalto”. Não tive reação, apenas comecei a passar meus pertences pra ele, celular, qualquer dinheiro que encontrasse pela casa, PlayStation, câmera etc. Mandou eu entrar no meu quarto, entrou comigo e disse ” se quiser que eu vá embora, vai ter que chupar”, eu sabia o que era sexo, mas não nos seu mínimos detalhes, e não sabia o que era chupar, ele colocou o pênis pra fora e eu fiz o que ele pediu. Eu só chorava, enquanto ele puxava meu cabelo e me xingava, mandou eu tirar a roupa e começou a passar as mãos e o pênis dele no meu corpo. Mandou eu me deitar, abriu as minhas pernas, e passou o pênis em mim, e ainda teve a coragem de me chamar de porca por não me depilar, e eu agradeci por não penetrar. Ele mandou eu tomar banho, eu fui. Ele foi embora, eu só sabia escovar os dentes e cuspir, chorar…chorar e chorar. Quando a minha irmã chegou em casa, eu contei o que havia acontecido, ligamos para o meu pai, ele veio pra casa, conversamos, contamos pra minha mãe que na época estava grávida de mais ou menos 6 meses. Hoje não tenho vergonha de falar sobre o acontecido, por que eu não fiz nada de errado, mas na época o mais difícil foi ouvir da minha mãe, mais ou menos uma semana depois do ocorrido ” para de chorar, já aconteceu comigo e eu não fico me lamentando o tempo todo”. Tudo bem, apesar dessa frase, ela ainda é minha mãe que respeito e admiro, e guerreira por passar por isso e superar também.