Fui à Delegacia, ouvi piadinhas dos policiais, mas denunciei – 1175

1175 – Trabalho em um bairro pouco residêncial do Rio de Janeiro, a rua em que a minha empresa se localiza, é cheia de oficinas, botequins e lojas afins. Sou bem alta, magra e pelo meu tamanho, naturalmente chamo atenção, trabalho de calça jeans, camiseta da empresa, sapatilha fechada, nem a justificativa RIDICULA da roupa provocante não se pode usar nesse caso. Pois todos os dias na ida para o trabalho, ida e volta do almoço, volta pra casa ou qualquer outra necessidade de passar pela rua, me obrigava a ouvir “adjetivos” como: cavala, cachorra, gostosa, e todos,os absurdos afins…como era rotina, houve vezes de eu xingá-los, chorar sozinha de ódio, morrer de constrangimento quando havia outros colegas junto, mas houve o derradeiro dia em que eu decidi agir. Saí do trabalho, passei inevitavelmente pela tal oficina e fui até a delegacia, como nome e endereço do estabelecimento, mesmo constrangida, relatei os fatos com detalhes, ouvi piadinhas dos policiais, mas a denúncia foi feita e não vou dizer que nunca mais ouvi um psiu, já que gente retardada não tem limites, mas entre exclamar e ofender, precisam ser impostos limites.