Fui agredida pelo companheiro por 4 anos – 2040

Olá, em meio à tantas histórias que leio aqui, tive coragem de vir expor a minha história, e que espero que possa servir de exemplo para algumas garotas, pois sei que tem meninas que passam pelo que passei ainda. E com a a ajuda do feminismo da minha amiga, irmã e mãe consegui superar e hoje sou uma outra pessoa.

Então, quando eu tinha feito 18 anos conheci um rapaz da mesma idade que eu, ele era o principe que toda garota sonhava, mas só no início do relacionamento. Uma vez vi ele dando em cima de várias garotas falando safadeza com elas no Facebook, ele chorou pediu perdão e me chantageou, disse que iria se queimar se eu não o perdoasse, logo, perdoei.

E então ele quis que eu provasse a ele que o amava perdendo a virgindade com ele, tentamos mas eu sempre parava antes de começar porque eu não queria. Mas chegou um dia que eu disse não, e ele disse que eu iria ver estrelas, e eu vi… Estrelas de dor e sofrimento, queria que fosse de uma forma diferente. Mas ele se satisfez e eu fui embora dolorida. A partir daí eu fui pressionada pela família a ficar com ele até casar porque ele era meu primeiro homem, e eu aguentei muita coisa meninas, ele me traia e eu chorava, quando eu queria terminar ele olhava pra mim e dizia” VOCÊ TEM É QUE ME AGRADECER POR ESTAR AINDA COM VOCÊ SE OLHA NO ESPELHO !

Me pegava pelo braço e me colocava na frente do espelho a força chegando a me machucar… Eu ia passar o final de semana na casa dele e eu queria ir embora e ele não deixou, fiquei desesperada e comecei a chorar e ele me deu um tapa na cara e me jogou da cama. Meninas eu choro sempre que lembro, me sentia humilhada, um lixo eu não tinha forças contra ele e me recolhia e dormia do lado dele ainda tendo que transar.

Eu com medo, o fazia. Ele fazia terror psicológico e eu entrei em depressão pois comecei a acreditar em tudo o que ele falava, que eu era uma feia, nojenta que ninguém ia me amar e cuidar de mim como ele o fazia, e que eu devia dar valor ao homem que tinha. Me proibiu de ter amigos e eu fiquei sozinha sem poder contar pros meus familiares de medo de tudo, principalmente de não acreditarem por amarem ele (sim, na frente da minha família ele era um anjo).


Eu tinha que aceitar ser machucada e traída sempre com ele me manipulando fazendo eu me sentir a culpada de tudo… E eu me sentia, tão lixo e inútil por não ter forças que tentei me matar três vezes, uma dessas parei no hospital, foi onde meu pai percebeu que tinha algo errado e tentou me ajudar, mas ele sempre me deixou livre e nunca quis se meter na minha vida. Ele apenas disse “não quero mais esse cara na minha casa senão arrebento ele”. Eu em depressão fui ler sobre feminismo quando ele viu isso disse que feminista era tudo mau amada e mau comida (sim, ele é ainda machista).

Eu estava acabada, parecia um zumbie, e todos a minha volta mesmo sem saber de tudo sentiam que ele não estava me fazendo bem. Eu fui mais uma vez ao hospital e descobri que tinha gastrite nervosa, ai comecei a passar mau nas brigas ele me monitorava 24 horas eu não podia nem ir na feira, mas ele ia na balada. Eu queria me livrar de tudo eu sabia que não era amor, a mãe da minha amiga me disse (ela é sensitiva) “larga logo esse cara isso não é amor é carma e só vai piorar!”

Então ele foi viajar pra curtir a vida enquanto eu estava doente, tive coragem e mandei um “acabou tudo”. E bloqueei ele literalmente de tudo e da minha vida. Foram 4 anos de sofrimento, dor e fraqueza ( e isso é apenas um resumo de tudo), e tem 3 meses que estou livre, e nunca mais passei um final de semana chorando, machucada e tendo que transar. Eu sou tão feliz hoje, meninas se tiverem num relacionamento assim, saiam imediatamente, isso não é amor, é doença. Obrigada pelo espaço, graças ao movimento feminista e as histórias tive coragem, e hoje quero defender todas as mulheres que passam por isso. Amo a página!