Garçom: “se você me der um beijo na boca é [de graça]” – 1303

1303 – Olá, é a primeira vez que escrevo, sou muito fã da página e acho a proposta sensacional.
Estou num lugar chamado Quintal Do Espeto em Moema. Um garçom chegou com um espetinho e eu perguntei brincando: é de graça?
Garçom: se você me der um beijo na boca é.
Na hora eu praticamente não tive reação, pensei em um milhão de coisas para responder e acabei não falando nada.
Depois que ele saiu da mesa, contei pra minha amiga o ocorrido.
Ela: você precisa fazer alguma coisa!
Eu pensei em me omitir, mas pensei em todos os casos que já li aqui e que fizeram a diferença, de pouco a pouco.
Decidi falar com o gerente acompanhada da minha amiga. Encontrei o gerente, contei o que houve e o gerente disse que pelo meu tipo de brincadeira, o garçom acabou “brincando” também. Eu respondi que o nível de “brincadeira” era completamente diferente. Falei que se eu fosse homem, ele nao teria me pedido um beijo na boca, o gerente confirmou e a conversa toda se desenvolveu com o gerente demonstrando que teria a mesma atitude do garçom.
Enfim, não volto mais nesse lugar e da próxima vez que acontecer isso num estabelecimento eu não vou titubear em reclamar com o superior, ainda que ele seja tão imbecil quanto o atendente. De pouco a pouco a gente destrói esse pensamento ridículo.