Mandava mensagens pra ela pedindo pra ela chupar ele – 1305

1305 – Desde que comecei a ter contato com paginas feministas tenho pensado em fazer esse relato, mas várias vezes desisti. É um caso muito longo, mas vou tentar resumir sem omitir detalhes importantes.

Quando eu estava na oitava série (12 pra 13 anos), entrou novo professor na minha escola. Ele morava perto da minha casa e as vezes íamos juntos pra escola. Ele era muito querido comigo e eu me apaixonei por ele. Um das minhas amigas que ja o conhecia de outro lugar viu o que estava acontecendo comigo e tentou me contar sobre um envolvimento que eles dois tinham tido quando ela tinha 11 (!!!) anos. Ela disse que eles ficaram e que ele mandava mensagens pra ela pedindo pra ela chupar ele. Eu não acreditei. Naquele ano não aconteceu nada, mas no ano seguinte eu troquei de escola, e no semestre seguinte ele passou a lecionar lá tambem.
No primeiro semestre do meu primeiro ano eu namorei e perdi a virgindade com meu namorado. Depois de uns meses o namoro começou a ficar ruim e esse professor, já dando aula na segunda escola, começou a se aproximar de mim novamente, e me incentivar a terminar o namoro, perguntar se eu ja tinha perdido a virgindade, e ficou realmente muito próximo. Minha paixão por ele que ja tinha passado se reacendeu e eu, muito carente, comecei a cair no jogo dele. Nessa época eu tinha 14.
Um dia começamos a conversar no msn e a conversa ficou intensa, ele me fazendo propostas sexuais e ao mesmo tempo promessas românticas. Eu terminei com meu namorado e fui pra cama com ele algumas vezes. O sexo não foi bom, mas eu segui me encontrando casualmente com ele por carência, e logo em seguida ele sumia e voltava todo romântico.

Em função do meu relacionamento com ele, desenvolvi bulimia e anorexia, porque ele me chamava de gordinha (não carinhosamente, mais tipo um deboche). Eu nunca vi isso como se eu tivesse sido estuprada ou molestada, mas eu sofri muito. Na época eu achava que tinha maturidade pra lidar com aquilo e até hoje me pergunto o que realmente aconteceu. Penso que o que aconteceu fica entre uma linha tênue entre uma adolescente enganada por um panaca e uma criança molestada. Das pessoas com quem conversei todas me disseram que está mais pra primeira opção. Hoje esse “relacionamento” já não me afeta como antes, nada além de raiva dele e um pouco de pena de mim por ter me deixado enganar. Mas gostaria de saber o que você e as moças que frequentam a page teriam pra dizer.