me mostrou que a bermuda dele estava toda lambuzada… – 836

836 – “Uma vez, no metrô, entrou um moço de muletas, com a perna quebrada, e sentou-se na minha frente, no assento reservado para deficientes. Ao perceber que ele estava me encarando, tomei a atitude padrão, evitar contato visual. Mesmo olhando pra fora, as estações foram passando, e eu percebia que ele continuava me encarando. Um pouco antes de chegar ao meu destino, olhei novamente e vi que ele estava com a mão no genital, por cima da calça mesmo, e quando me levantei e me aproximei da porta para descer, ele tirou a muleta da frente, e me mostrou que a bermuda dele estava toda lambuzada… Morri de nojo e indignação. Saí apressada, e vi que ele se levantou logo após. Andei depressa sem olhar pra trás durante um tempo, até ganhar o piso superior onde estavam as catracas, e vi que ele não estava atrás de mim. A noite inteira fiquei de olho ao meu redor pra ver se o cara não tinha me seguido.”