me puxou pela nuca, tentando me beijar – 604

604 – Há alguns dias meu melhor amigo me pediu pra ir numa festa resgatá-lo. Ele não conhecia ninguém e estava perdido… Eu estava em casa de pijama me preparando pra dormir, mas troquei rapidamente de roupa e fui. A festa realmente era um desastre, dezenas de universitários bêbados e não conhecíamos quase ninguém, apesar de estudarmos na mesma universidade. Eu não estava bebendo porque estava dirigindo, mas peguei um copo de suco e fui fumar um cigarro do lado de fora, junto com esse amigo. Havia algumas pessoas do lado de fora e começamos a conversar em um círculo, enquanto eu fumava tranquilamente. Um cara se sentou do meu lado e me abraçou. Eu nunca tinha visto o cidadão na minha vida, muito menos falado com ele! Eu não sei porque ele se aproximou de mim, eu estava de blusa de frio, calça jeans, tênis, cabelo preso, óculos e não estava bebendo. Nada no meu comportamento era compatível com as desculpas que eles dão por aí para justificar qualquer assédio masculino. Eu educadamente retirei o braço dele e me afastei um pouco. Nessa hora eu não tinha a menor ideia de como reagir. Resolvi ignorá-lo por achar que estava bêbado e podia ter me confundido. Ele insistiu, começou a conversar, dizer que eu era linda e me puxou pela nuca, tentando me beijar. No susto, me afastei e ele beijou meu ombro! Foi demais pra mim!!! Nesse momento eu o empurrei, gritei, pedi pra tirar a mão de mim e pedi que me respeitasse. Ele perguntou “O que eu faço pra te conhecer? Você não quer nem conversar!” Eu não tinha a menor intenção de conhecer uma criatura dessas, mas senti que precisava ensinar a ele alguma coisa e disse: “Se você quiser conhecer uma garota, experimente conversar com ela primeiro, ao invés de chegar colocando a mão onde não tem permissão!” Ele se afastou e eu olhei pro restante do círculo e ninguém parecia se importar!!! Fiquei abismada! Nem meu amigo, nem ninguém se manifestou! Pouco tempo depois o cara voltou e continuou insistindo. Eu fui mais agressiva e ele perguntou “Você é lésbica?” Respondi “Não, eu gosto de homens, eu não gosto é de porcos como você” E ele se virou pro restante do círculo e anunciou em alto e bom som: “Essa moça é lésbica. Ela gosta de buceta” E foi embora. Pouco me importa que pensem que sou lésbica. Mas realmente me irrita o fato de que pensem que a mulher que é hétero tem que aceitar esse tipo de coisa! E me deixou profundamente preocupada o fato de todo mundo ter achado completamente normal a abordagem do rapaz e de acharem até “engraçadinho”. Pessoas que eu nem conhecia ainda disseram “Você tá exagerando! Tá na TPM?” É o cúmulo!!!!! Voltei pra casa aquela noite sentindo uma grande decepção…