me virei e vi que o motoqueiro estava com o pênis pra fora se masturbando – 1672

1672 – Tenho 14 anos e estava sozinha no ponto de ônibus esperando minha irmã pra irmos embora juntas. Estava uniformizada. Com aquele tipo de uniforme tradicional. Saia, blusa social. O ponto não ficava muito cheio. Na rua sempre passavam carros. Mas naquela hora não passou nenhum. Deve ser por ser num dia de sábado. Estava de costas. Percebi que havia um motoqueiro em cima da calçada. Mas nem liguei. Depois de um tempo, me virei e vi que o motoqueiro estava com o pênis pra fora se masturbando. Olhando pra mim. Me senti ofendida, óbvio. Senti raiva, ódio, nojo. Como ninguém viu aquilo? Minha reação foi sair correndo dali. E tentar alertar minha irmã pra não ir mais pro ponto de ônibus. Fiquei com medo dele me perseguir de moto. Ou vir a me atormentar novamente. Tive medo. E é esse sentimento de medo que eu acho que lhes dá tesão, que os empodera. Pergunte pra qualquer mulher. De qualquer idade. Se ela nunca veio a sofrer um assédio ou agressão de algum homem. Isso tem que deixar de ser algo comum, banal.