Mesmo que seja bonito, educado, NÃO GOSTO! – 1112

1112 – Há centenas de casos que eu poderia contar. Assim como qualquer mulher. Eu tenho vinte anos agora e diariamente convivo com o medo. Até pouco tempo tinha fobia social e não conseguia sair de casa, quase perdi um emprego por incapacidade de pegar ônibus/metrô. Principalmente depois de um cara idiota sentar na minha frente no ônibus, e olhar fixamente pra mim, enquanto eu olhava para o lado. O infeliz me pergunta “você tá com sono né”. Não respondo. E sorri e insiste “posso me sentar do teu lado, você encosta no meu ombro e dorme”. Eu já estava trêmula, suando frio. Em pleno bairro do Ipiranga, oito horas da manhã. Eu respondo com um NÃO frio. E com cara de nojo. Ele desceu no próximo ponto, não parando de me olhar com cara de nojo. Felizmente antes de ele descer uma mulher se sentou do meu lado e um policial entrou no ônibus – não que eu me sinta super segura com a polícia, mas né – O pior foi o jeito que ele me olhou quando desceu do ônibus. Eu o olhando fixamente com cara de nojo. Mas com medo. E era um homem branco, de classe média, bem vestido, com boa aparência. E EU SINTO NOJO DELE. Há um inferno reservado para todo aquele que diz “mas se o cara fosse bonito vc ia gostar né”. Nunca vou me esquecer desse desconhecido maldito. Assim como nunca me esqueci da primeira vez que fui ASSEDIADA.

Há cerca de DEZ ANOS. Eu estudava no SESI, em uma cidade pequena do interior e lá tinha um ‘clube. Eu fazia natação e estava voltando da aula, indo para o vestiário. E tinha um grupo de meninos, de uns 15 a 20 anos, sentados em puffs vendo televisão. E um deles, que era o menino popular do clube, que devia ter quase vinte anos disse “Oi, linda.” e riu. Eu senti medo, meu coração disparou, e eu quase chorei. Eu nem entendia o que foi que aconteceu direito. Aquilo me dói até hoje. Eu era uma criança ingênua e fui assediada por um adulto. E foi só um “Oi, linda”. Foi um “elogio”. Mas para mim nenhum desconhecido elogia, nenhum. Mesmo que seja bonito, educado, que seja. Se é um desconhecido não tem o direito de falar comigo, principalmente sobre minha aparência. E esses homens idiotas dizem “Mas se eu ver uma mulher bonita não vou poder falar com ela? Não vou poder dizer que ela é bonita? Não vou poder mais ficar olhando pra ela?” NÃO, SEU BABACA, NÃO PODE. E, SIM, VOCÊ ESTÁ PERDENDO SEU PRIVILÉGIO MACHISTA.

Há dez anos eu passo por esses abusos e constrangimentos, há dez anos eu ouço homens e infelizmente mulheres comentarem que não é nada demais, há dez anos eu sinto o medo de sair na rua, e não só na rua, sabemos que até dentro de casa não estamos protegidas. Há dez anos sou educada pela minha mãe que me ensina a não reagir, pois os riscos são altos. Há séculos, nós, mulheres, somos uma classe inferiorizada pelo machismo. Mas tenho fé que isso um dia vai mudar. E que aos poucos vamos aprender a reagir a toda essa opressão. A cada relato nessa página sinto a dor das mulheres que sofrem o abuso, mas também sinto felicidade das que reagem a um machista. Obrigada pela iniciativa.