meu pai abusava de mim e me batia se namorasse -1169 –

1169 – Esse relato é de abuso, e só contei pra uma pessoa na vida toda. Tenho muita vergonha e muito nojo.

Meus pais se separaram quando eu tinha 15 anos. Os dois estavam em quadro depressivo, então meu irmão e eu nos dividimos para que nenhum dos dois ficasse sozinho. Meu irmão foi embora com a minha mãe e eu fiquei com o meu pai.

Minha mãe levou praticamente todo o conteúdo da casa consigo. Só restou um colchão e uma geladeira velha, então comecei a dormir junto com o meu pai. Durante mais ou menos 3 anos ele abusou de mim. Começou numa noite em que estávamos vendo TV, com ele passando a mão nas minhas coxas e depois na minha bunda, na minha buceta. Eu fiquei congelada, não sabia como reagir. E era virgem e nunca tinha passado por nada disso. Ele se levantou um tempo depois dizendo que era um monstro, que nunca mais tocaria em mim, etc. Eu não podia ir embora na época, porque a minha mãe parou de falar comigo quando resolvi ficar. Eu tinha escolhido ficar com ele e tinha que aguentar as consequências na cabeça dela.

A partir daí, a coisa só foi piorando. Eu sabia que estava errado, que eu não queria, mas fui criada para ser passiva e não sabia confrontar o meu pai. Eu só conseguia chorar quando ele não estava vendo e torcer pra tudo acabar. Ele me mandava dormir nua, tocava meu corpo, me beijava na boca, e muitas vezes acordei de madrugada com ele beijando minha buceta por cima da calcinha. Nunca houve penetração, mas acho que isso não diminui o dano que ele causou em mim.

Meu pai acabou me tornando um objeto dele, e quando desconfiava que eu estava namorando/beijando algum rapaz, tinha reações violentas: me espancava e me proibia de sair de casa. Ameaçou alguns rapazes com quem comecei a sair, já levou um na represa e ameaçou jogá-lo lá dentro. O meu atual namorado, namorei escondido por 6 meses. Queria fazer com que ele gostasse de mim antes de conhecer o meu pai. Ver que eu era uma pessoa legal e que valia a pena ficar comigo. Bom, meu pai acabou descobrindo o namoro por acaso, escutando uma conversa minha pela extensão. E nessa conversa, dei a entender que já tinha transado.

Daí foi mais uma sessão de espancamento, com ele me chamando de vagabunda e tudo mais. Dessa vez saí de casa e arrisquei ir morar com uma tia. Meu pai foi atrás de mim, chorou e pediu pra eu voltar. Mas eu já tinha aguentado muito, então, assim que arrumei um emprego, saí da casa da tia e fui morar em outra cidade. Nunca mais falei com meu pai.

Eu tenho muita vergonha de contar sobre o abuso, porque tenho medo das pessoas apontando o dedo pra mim, dizendo que eu escolhi ficar e tal (coisas que eu ouvia sobre a possessividade dele, por ex), e que então eu tinha que aguentar, já que escolhi ele.

Ainda hoje, tudo isso dói quando me lembro, e gostaria que ninguém precisasse passar por isso.