Meu vizinho se negou a me ajudar – 1068

1068 – Certo dia, indo para o cursinho, sendo mais exata, às 05:45 da manhã, quando o dia ainda nem havia começado a clarear, eu estava subindo a rua da minha casa (que é contramão) para pegar um ônibus. Eu estava vestida de moletom, tênis e com a mochila nas costas. Foi então que um homem em uma moto veio da avenida , entrou na contramão, fez a volta e começou a subir a rua, diminuindo muito a velocidade em que estava. Presumi que ele pediria alguma informação, que estaria perdido. Eu já estava pronta para falar “Bom Dia!” e tentar ajudá-lo, quando ele apertou minha bunda, sem mais nem menos e saiu. Continuou na avenida, fazendo o seu mesmo caminho diário, como se nada tivesse acontecido. Minha única reação na hora foi gritar para xingá-lo, mas nunca me senti tão impotente em todo a minha vida. Depois de tudo isso, veio mais um dia cheio, com muitas aulas pela frente, metrô lotado e chegar tarde em casa, contei o ocorrido para os meus pais e perguntei se tinha algo que eu poderia fazer. Eles me disseram que não e que toda mulher passaria por isso uma vez em sua vida, o que aumentou meu sentimento se impotência. Fui até um vizinho pedir para ele ver nas imagens da sua câmera de segurança se conseguia a placa da moto, mas ele disse que não faria isso porquê temia a sua própria segurança. Me senti violada e sozinha.