Mulheres e cantadas: uma relação de medo

[por Jarid Arraes]

“Apesar de ser extremamente evidente que essas abordagens não são encaradas pelas mulheres como “cantadas inofensivas”, muitos homens demonstram insatisfação ao verem as opiniões femininas. Para vários deles, nem os resultados da pesquisa são convincentes o suficiente para que deixem de “cantar” mulheres. Alguns até utilizam a pequena minoria de mulheres que dizem curtir cantadas como álibis para continuar abordando desconhecidas.

Há muito o que ser discutido sobre a questão sob diversos pontos de vistas. No entanto, algo que chama atenção é o medo constante que tantas mulheres sentem. Por que tanto medo? A resposta para essa pergunta não é tão difícil e pode ser encontrada em conversas casuais ou até mesmo em páginas do Facebook – tais como a “Cantada de rua – conte seu caso”, que reúne depoimentos de mulheres vítimas de assédio por estranhos. Em quase todos os relatos, é possível perceber que as mulheres se sentem acuadas e amedrontadas diante da cantada de um homem desconhecido em locais públicos.”

Leia o artigo completo aqui.