“Namorada que não transa, não passa de apenas uma amiga” – 958

958 – Não foi cantada mas é um exemplo de machismo.

Um tipo que tem na criação das meninas e dos meninos que vai minando e traumatizando as primeiras relações.

“Namorada que não transa, não passa de apenas uma amiga”.

Quando eu e meu primeiro namorado tínhamos uns 16 anos e já estávamos namorando há um tempo. Ele pedia para transarmos.

Eu gostava muito dele e de chegar à algumas preliminares, mas não me sentia a vontade para transar mesmo.

Com o tempo passei a pensar que tinha que fazer isso a qualquer hora, que poderia não ser legal de primeira, mas depois eu me acostumaria, pois ele poderia ficar chateado, cheguei a escutar amigos dizerem pra ele que enquanto a namorada não “libera” ele tem que ir fazendo com as outras, ele não dava ouvidos e eu pensava que se desse era porque não me merecia, mas aquilo ficava na minha cabeça. Ou ele poderia pensar que raramente teríamos oportunidade de ficar a sós e eu estava desperdiçando. Então transamos e não durou dois minutos pois eu não queria mais, devido ao insuportável incomodo. Não conseguia pensar em mais nada que não fosse vergonha e dor. Afinal estava fazendo algo para agradar e não por vontade. Acabou sendo pior do que eu esperava, depois disso eu nunca queria de verdade, nunca me sentia a vontade, voltamos a fazer outras poucas vezes mas nunca era prazeroso pra mim, até que eu passei a fazer de tudo para nunca ficarmos a sós, ou desocupados. Ele percebeu que há tempos não ficávamos mais a sós e me cobrou, dizendo que precisava que transássemos. Eu finalmente lhe falei tudo que sentia, ele disse entender e querer ser sempre carinhoso comigo, mas que ele não podia esperar eternamente. Pois se tem uma namorada que não transa, ela não passa de apenas sua amiga.

Fiquei pasma e decidi não vê-lo mais. Um dia voltamos e ele prometeu nunca me forçar a nada, mas nunca mais tive vontade, nem de namorar inocentemente, e passou a cobrar novamente, então decidi terminar de vez.