Não entendia porque ele faziam e diziam aquelas coisas pra uma menina – 794

794 – ” O meu caso não é nada demais [Como assim, ‘nada demais’?!] mas mesmo assim acho um desrespeito com todas as mulheres as coisas que esses homens falam e fazem nas ruas. Bom, perto da minha casa tem um depósito e todos os dias voltava a pé do colégio e tinha que passar em frente dele pois não tinha outro caminho para chegar até em casa. No começo os homens que trabalhavam lá ficavam apenas olhando, mas depois de um tempo começaram a me dizer coisas horríveis uns para os outros a respeito de mim como ” nossa olha essa bundinha rebolando” “vai lá em casa pra eu te comer na minha cama gostosa” e outras coisas que eu prefiro nem dizer. Teve uma vez que um dos funcionários chegou a passar a mão no meu cabelo! Eu chegava chorando em casa todos os dias porque não entendia porque ele faziam e diziam aquelas coisas pra uma menina menor de idade que apenas estava voltando para casa! Quando não aguentava mais as humilhações cheguei a xingá-los, e eles me falaram “ah você tá se achando”, “sua vagabunda” ; chamei minha mãe, que fez um escândalo. Eu realmente não entendo a graça desses idiotas em ficar “mexendo” com as mulheres na rua! Isso precisa acabar…”