“nossa, mal educada! Vai lá, metida!” – 1238

1238 – Ano passado fui assediada na feira de cosméticos Beauty Fair em SP, dentro da Ikesaki, por um promoter de uma marca de esmaltes que estava ali vendendo seus produtos. Os promoters eram todos homens, malhados, vestindo roupas de judô com a parte de cima aberta, mostrando seus ~tanquinhos~ e peitorais. Sou contra a objetificação do corpo de qualquer pessoa com o intuito de vender qualquer coisa. A partir daí eu já achei a estratégia da marca bem escrota. Expor homens daquela maneira para atrair consumidoras. Até aí, “tudo bem”… Um desses caras me pegou pelo braço e disse “e aí, gatinha?”. Eu rapidamente tirei as mãos dele de mim e segui meu rumo sem falar nada, aí o cara virou e disse: “nossa, mal educada! Vai lá, metida!”. REALLY? REALLY? Um desconhecido coloca suas mãos em mim e me chama de “gatinha”, eu saio sem falar nada e sou mal educada e metida. Na época eu fiquei realmente tentada em fazer da vida dessa marca um inferno, mas desisti porque já imaginei a chuva dos comentários do “deixa-disso-você-tá-exagerando-feminazi” etc. Achei a estratégia da marca bem desconfortável, e o comportamento do promoter mais ainda… “Ah, mas fazem isso com as mulheres!”: não acredito em revanchismo e nem que fazer o mesmo mal com alguém te torna uma pessoa melhor. :T

 

*Ano retrasado