o jeito que ele me olhou me deu medo! – 582

582 – Eu estava num supermercado de bairro (e justamente por ser de bairro e ser frequentado só pelas pessoas do bairro que estou com medo de voltar lá) e fiquei esperando minha vez da fila da padaria. Bem atrás de mim parou um homem de meia idade que ficou me encarando com AQUELA cara. Aquela, que todas nós conhecemos bem e que dá vontade de poder ficar invisível, só pra não poder ser vista. Por um segundo, ou menos que isso, eu olhei nos olhos daquele homem e vi maldade ali e aí eu senti MEDO. Porque, de verdade, até hoje eu só tinha ficado revoltada ou brava em situações assim, mas medo foi a primeira vez. Quando eu fiz o meu pedido (fiquei paralisada de medo, a atendente teve que me chamar duas vezes) o desgraçado ainda quis me seguir, mas despistei pelos corredores. Era no meio da tarde e eu estava de carro, então pude apressar o passo e sair logo dali e arrancar com o carro. Mas e se fosse de noite? E se eu estivesse sozinha? Ele podia ter me seguido e feito muito mais do que me olhar daquela forma e me seguir.