O motoqueiro passou, enfiou a mão e me levantou – 1101

1101 – Estava voltando da escolinha da minha filha, que na época do ocorrido tinha 4 anos. Deveria ser 6 horas da tarde mais ou menos, quando em uma rua sem muito movimento ouvi uma moto se aproximar. Olhei com o canto do olho e percebi que se tratava de um motoboy, pois usava o colete de identificação. Na minha ingenuidade pensei que ele queria alguma informação de endereço. Foi quando ele parou ao nosso lado e, como posso dizer isso…, me levantou pra cima com uma mão! Eu fiquei muito nervosa na hora, mas não pela agressão que sofri e sim pela minha filhinha que estava comigo. Gritei de pavor e ele já arrancando a moto me arremessou no chão; não tive frieza para ver a placa, só queria correr para casa. Havia algumas pessoas tomando chimarrão na frente de suas casas, mas ninguém veio em nosso socorro.

Esse foi apenas um dos ocorridos quando trocamos o interior por Canoas, mas foi o mais traumatizante pois senti muito medo pela minha filha e oque poderia ocorrer a ela, que também ficou muito nervosa e chorando muito. Aquele covarde simplesmente foi embora, depois de atacar uma mulher com sua filha pequena.