O professor sentou ao lado de uma aluna, e ficou mexendo no cabelo dela – 897

897 – “Oi pessoas, tudo bem com vocês???
Posso falar dos meus dramas escolares com vocês?
Como já contei pra vocês antes, eu já sofri abuso sexual e fico muito atenta a tudo que pode estar acontecendo ao meu redor.
Entrou um professor novo na escola recentemente, no lugar de um outro de tinha saído.
Bem ele é um babaca. Passa cantada nas professoras, nas meninas da coordenação, na recepção, etc. Cantadas chulas e idiotas. Fica colocando a mão, etc.
Eu não sei até que ponto é brincadeira, até que ponto é o “se sentir no direito de”.
O que me preocupa é com as alunas dele.
Ontem eu pedi que ele saísse da minha sala, vou explicar por que.
Geralmente nós professores assistimos aulas, uns dos outros para que possamos trocar informações, melhorar a didática, etc e teoricamente era isso que ele e um outro professor(que sempre assiste minhas aulas) estavam fazendo lá.
O outro professor estava sentado sozinho e ele sentou ao lado de uma aluna, e ficou mexendo no cabelo dela, falando besteiras para ela. Eu educadamente pedi que ele trocasse de lugar e sentasse com o outro professor e ele disse que não iria sentar com marmanjo… Eu então pedi que ele parasse de conversar com a aluna e prestasse atenção na aula. E voltei a explicação.
Bem, ele não parou e continuou provocando a aluna. Uma menina de 14 anos que estava visivelmente incomodada. Eu não estava aguentando aquela cena e pedi para que ele se retirasse da sala.
Ele disse que eu não podia fazer aquilo e eu disse que podia, pois a turma era minha e ele estava me incomodando e atrapalhando minha aula. Ele saiu a contragosto e disse que ia reclamar para a coordenadora, que eu deixava o outro professor ficar, mas não ele. Eu disse que ele poderia ir.
À noite, antes de ir embora, sentei com a coordenadora para conversar e disse a ela que ele andava incomodando as pessoas com essas cantadas idiotas e com esse jeito de que tem direito a tocar e tals e ela disse que está de olho nele, pois outra professora também havia reclamado e que eu posso tirar ele da sala ou tomar qualquer medida que eu ache necessária para me proteger e proteger minhas alunas, mas não disse nada sobre adverti-lo ou algo do tipo.”