“o que você disse?” Ele se assustou, “não, não foi com você não” – 589

589 – Eu estava no mercado passando pelo corredor onde fica o café quando ouço um murmúrio quase ininteligível, falado entredentes, mas que soou como um “puxa” ou um “nossa”. Primeiro eu achei bizarro porque eu estava com um moletom bem largo e tenho o cabelo curto — só não me confundem com um menino porque eu tenho quadris bem largos, apesar de ser magra. Parei, me virei e vi um homem olhando pra mim. Perguntei: “o que você disse?” Ele fez uma cara de assustado e disse “não, não foi com você não” e apontou pra um menino, que ele seguiu pra fila do pão. Desencanei e achei que ele devia ter falado com o filho dele e segui meu caminho, até que percebi que ele havia usado um menino que estava com outra pessoa como álibi, porque ele continuava na fila do pão e o menino ia com outro homem na direção do último corredor. Ai, que nojo. Não dá nem pra fazer compras em paz.