o taxista fazia perguntas e comentários constrangedores – 1207

1207 – Há mais ou menos um mês, peguei um taxi para voltar de uma festa na Cidade Universitária. Ultimamente, tenho preferido voltar de ônibus porque sai bem caro, mas naquele dia eu iria voltar sozinha (e de madrugada) então optei por pegar um taxi mesmo, ingenuamente acreditando que seria mais “seguro”. Assim que entrei no carro, o taxista perguntou meu nome e para onde eu iria, até então tudo bem. Mas depois de algum tempo ele começou a fazer umas perguntas do tipo “Aquele com você era seu namorado?” (respondi que não), “Ah, então você não namora?” (realmente, não namoro, mas na hora achei melhor responder que sim), “Mas é um namoro sério ou você também pega todo mundo por ai?”. Comecei a me sentir muito incomodada e só respondia todas as perguntas e comentários dele com uma risadinha. Até que uma hora eu resolvi me inclinar para o lado pra dar uma olhada no taxímetro e, não sei porque diabos, o taxista imaginou que eu fosse me deitar no banco de trás. Então ele disse: “Se tiver com sono e quiser deitar e dormir um pouco, pode dormir que eu te acordo. Tenho um jeito bem especial de acordar as meninas”. Fiquei em choque e, de novo, só dei uma risada e disse “To bem, obrigada”. O cara de pau ainda me deu o telefone dele e disse pra “eu ligar quando precisasse de alguma coisa”.