Obcecado por me assediar, bateu no carro da frente – 1159

1159 – Sou dessas que morrem de nojo quando, pelo simples fato de ser mulher, tenho que ouvir as taras de alguém no trânsito, na rua, em festas, enfim… mas hoje foi diferente.
Parei no semáforo, peguei um creme de mão e eis que olho pro lado (ele estava a minha direita, os vidros estavam fechados) e um caminhoneiro falava umas coisas que eu não podia ouvir, mas os gestos que ele fazia com a mão e aquela cara de… enfim, deu pra entender a mensagem. Vi que ele estava aparecendo bem na altura do para-sol do passageiro. Fiz o quê? Abri o para-sol que tampou a cara dele. Yay!
Eis que o “bonitão” resolveu tocar o caminhão pra frente pra continuar mexendo comigo… foi um pouquinho para frente e reapareceu fazendo aqueles gestos obscenos com a mão (maldito trânsito que não anda!), foi mais um pouquinho… e mais um pouquinho… POFT, bateu no carro da frente.

E foi assim que pela primeira vez que um tarado na rua me fez rir.