Passaram de carro do meu lado, me encarando – 632

632 – “Olá, queridxs! Sou estudante da Unicamp e moro em Barão Geraldo, no bairro que fica nas imediações da universidade.  Quem mora aqui caminha pelas ruas a qualquer hora do dia morrendo de medo. Os homens de assalto, as mulheres de assalto e estupro. É claro que em todo lugar as pessoas temem por isso. Mas por aqui a coisa é um pouquinho pior. O bairro é habitado por famílias de muito dinheiro, que não andam à pé, ou por universitários. Por isso, é alvo fácil. A galera da faculdade teme pela segurança das garotas e a maioria dos nossos amigos se oferece pra nos acompanhar na volta pra casa, tão comum são os casos de estupro por aqui. Já rolou até numa página da facul um pedido de que os caras que andam à noite, voltando da aula ou não, trocassem de calçada ao ver uma menina sozinha e a mantivesse em seu campo de visão em seu caminho de volta pra casa, tamanho é o perigo e o pavor que nos acompanha. TODOS sabem desse pavor. Mas hoje, estava voltando da faculdade por volta de 17h e um carro com 3 muleques que pareciam ser alunos da faculdade passou por mim fazendo gracinhas. Eu mostrei meu dedo médio e disse “Aqui pra vcs, babacas!”, como sempre faço. Mas o cara que estava no volante foi até esquina e fez o retorno, passando do meu lado e me encarando. Eu gelei por dentro, mas me mantive firme e encarei também com a pior cara que eu pudesse fazer. Eles aceleraram e sumiram. Não basta ser nojento o suficiente pra me fazer aquelas gracinhas, ainda tentaram me intimidar, sabendo do medo que todas as mulheres tem de andar na rua nesse lugar! Eu senti mais do que ódio! Será que eles não pensam que as irmãs deles ainda podem vir estudar aqui e conviver com esse pavor todo santo dia ao ir e voltar da aula?? É esse tipo de cara que formará a “elite intelectual” do nosso país. Isso só aumenta o meu medo “