Passei na frente dele e dei os dedos do meio pra ele e gritei: “Seu babaca, nojento!” – 2070

Estava indo para a faculdade assim como faço todos os dias. Peguei o trem aproximadamente 5:20h da manhã e como de custume vou em pé até a estação final. Estava cansada, com sono pois tinha virado a noite estudando e iria fazer uma prova importante.
Até que percebo um homem me olhando de cima a baixo com cara de desejo.
Aquilo me deu um nojo, fiquei encarando pra vê qual era a dele.
Mas eu encarava ele com a cara mais feia e fechada que alguém pode ter. O trem encheu e ele ficava esticando o pescoço entre as pessoas para vê se eu estava no mesmo lugar. Eu ali ,parada encarando dentro dos olhos daquele nojento, cega de ódio, minha resposta estava a caminho. A parada iria ficar cabulosa pra ele!

Quando chegou a hora de todos descerem , ele olhou pra mim do mesmo jeito desde da hora que entrei no vagão. Passei na frente dele e dei os dedos do meio pra ele e gritei: “Seu babaca, nojento!”. O mundo dele caiu! Ele ficou sem acreditar e todos olharam pra minha cara, como se eu fosse uma maluca.

Mas, se a sociedade me acha maluca por eu me defender de homem abusado na rua, então EU SOU LOUCA. LOUCAA!
E se reclamar eu saio gritando pelas ruas igual louca.

Homem babaca comigo, não se cria e nem tem vez. NAO abaixo a cabeça e nem tenho medo de ameaça lançada por olhar. Se cruzar meu caminho, irmão… Tá fudido!