“Que perfume a senhora usa?” – 1272

1272 – Eu já fiz um relato aqui antes, e tenho inúmeros outros que aconteceram só nesse último mês comigo. Mas hoje quero contar algo que aconteceu sábado e que me deixou feliz em saber que existe homem decente ainda no mundo.

Todo sábado por volta de 6:40 da manhã, eu saio de casa pra ir às aulas da faculdade. Geralmente, por ser um bairro turístico, essa hora a rua ainda está vazia e, vez ou outra, passa um carro de algum otário que acaba de chegar da balada mexendo comigo. É bem comum me oferecerem carona de forma nojenta e esse tipo de coisa.

Esse dia em específico, eu estava sozinha no ponto como de costume e atenta à qualquer movimento, pois já estou habituada a essa rotina com medo que vivemos. Quando o onibus chegou, vi que estava completamente vazio e já fiquei esperta. Ao entrar no onibus (aqui em salvador a entrada é pela porta da frente), o motorista olhou pra mim, sorriu e disse: “Moça, posso fazer uma pergunta?”.

Na hora eu congelei, apesar dele ter sido aparentemente educado. Ponto vazio, rua vazia, onibus vazio e esse motorista de onibus parado no meio da rua, querendo me fazer uma pergunta. Receosa, disse “Depende.”

E então ele simplesmente disse com todo o respeito “Que perfume a senhora usa?”

Eu, meio confusa: “Perfume (nome do perfume)”

Ele, simpático: “Ah, obrigada por dizer o nome, muito bom seu perfume. Bom dia”

E arrancou com o onibus enquanto eu me sentava.

Comecei a sorrir ali mesmo, achei fantástico. Ele em momento algum me desrespeitou, ou foi malicioso. Nem mesmo perguntou meu nome ou pediu algum contato. Foi apenas isso. Sem segundas intenções. Fiquei tão feliz!

Se os homens soubessem como esse tipo de coisa nos ganha, jamais usariam novamente de cantadas e maneiras estúpidas de chegar numa mulher como costumam usar. Ganhei o dia.