“Quer dar o cú pra mim?” – 1248

1248 – Quando eu tinha 13/14 anos, eu tinha que pegar um ônibus pra chegar na escola onde eu fazia curso. Minha aula começava as 8h, então eu pegava o ônibus as 7:25h; com medo dele adiantar e eu perder ele, 7h eu já ia pro ponto ficar esperando. Meu curso era de sábado, o ponto não fica muito longe da minha casa, mas pelo horário, e por ser fim de semana as ruas estavam vazias, não tinha ninguém. Fiquei sentada esperando, quando do nada apareceu um velho, devia ter entre 60/70 anos, sentou no ponto do meu lado. Pensei que ele também ia pegar o ônibus, ele começou a puxar assunto, e perguntar meu nome, pra onde eu ia, onde morava. Menti meu nome, endereço e tudo o que ele perguntou. Ele falava de um jeito estranho, baixo e dificil de entender, então eu sempre falava “repete? eu não entendi”, até que ele do nada me olhou e disse “Quer dar o cú pra mim?”  Eu não conseguia acreditar no que eu tinha ouvido, senti raiva, me arrepiei como se tivesse sentido um calafrio, pensei que tinha me enganado e falei “O QUE?” e ele me responde “Quer dar seu cú pra mim?”  Senti raiva, nojo, eu simplesmente disse “Vai se Fuder”, saiu involuntariamente, quando percebi, eu já tinha falado, e ele ainda me respondeu “Não agora, na hora que você voltar da/do (falou o lugar q eu havia mentido que estava indo).”  Olhei pra cara dele com ódio, ele se levantou do ponto e foi andando até a esquina, andava um pouco, parava e me olhava. Quando chegou na esquina, ele ficava indo da calçada até o meio da rua, olhava pra mim, ameaçava voltar na minha direção, e depois voltava pra esquina. Eu estava apavorada, tinha medo dele voltar e tentar me agarrar à força, ou algo do tipo. Não tinha ninguém na rua, eu estava sozinha, ele ameaçou voltar na minha direção mais uma vez. Então o ônibus apareceu, ele parou e ficou me olhando até eu entrar no ônibus, minhas pernas estavam tremendo. Nunca contei isso pra ninguém por sentir vergonha de ter que repetir o que ele me disse. Nunca senti tanto nojo, raiva e medo igual àquele dia. Nunca imaginei que uma pessoa daquela idade fosse falar algo desse tipo pra mim, com 13/14 anos eu ainda me sentia uma criança, isso é algo que eu nunca mais vou esquecer.