queria contar sobre caras que ficam se oferecendo – 1052

1052 – Bom, eu queria contar sobre caras que ficam se oferecendo pra você e dizer que nunca mais vou deixar barato. Sou do interior de São Paulo. Quando eu tinha 18 anos, eu trabalhava em um shopping e saia muito tarde de lá, meia noite ou as vezes de madrugada mesmo. Eu costumava esperar minha mãe me buscar em uma pracinha ali perto, pra ela não ter que fazer a volta por trás do shopping. Tinha um lancheiro ali na pracinha, e um dia ele me chamou ali perto pra conversar, foram amenidades, sobre tempo, trabalho, etc… No 4º dia a conversa já mudou o rumo, ele dizia que minha mãe demorava muito pra chegar e demorava mesmo, que dava tempo de ele fechar o carrinho e me levar embora ou a gente ir pra outro “lugar” pra relaxar. Eu na minha inocência, perguntei: “- E a sua esposa?” – E ele respondeu que ela não precisava saber, ele tava se oferecendo pra mim, sem eu sequer ter demonstrado interesse em sair com ele. Do outro dia em diante, passei a esperar minha mãe do outro lado da rua, em frente de um prédio. Quando eu tinha 19, comecei a namorar e ia com meu namorado pra barzinho ou comer fora. Todo domingo eu ia com ele pra ver jogo em bar de torcedores do mesmo time. E às vezes em um lancheiro que ele me apresentou. O namoro terminou. Mas como eu sou mulher, independente, motorizada, não via motivo pra sair somente se fosse acompanhada de alguém, mesmo porque minhas amigas não tem a mesma liberdade que eu pra sair e voltar a hora que quiser. Em uma terça feira, parei no tal bar sozinha pra beber, nesse dia eu estava a pé e iria dormir na casa de uma amiga que mora ali perto. Quando deu meia noite, eu peguei a carteira e disse pro dono do bar (que é casado) somar minha conta. Ele disse que não era pra eu pagar, que tava certo e que ele me levaria embora ou iriamos “relaxar”. Eu estava bêbada, mas não sou burra e não tava afim de aguentar insistência e chatice. Disse iria ali fora no orelhão ligar pra minha mãe e já voltaria. Mentira, fui embora. Meses depois, passei no tal bar e pedi uma cerveja, ele pediu o dinheiro antes, justissimo. Falei pra ele cobrar daquele dia, mas ele não quis. Mas nunca mais veio com essas palhaçadas.
Agora sobre o lancheiro. Algumas madrugadas, passava lá, tomar cerveja até ele fazer o lanche, a namorada dele, sempre ficava lá. Uma vez, ela não estava e ele veio me cumprimentar abraçando, e começou a se esfregar demais em mim e eu soltei rapidamente. Não voltei mais lá. Muitos meses depois, eu tava andando de bicicleta e começou uma chuva imensa e eu tava ali perto, fui me esconder lá de baixo. Ele me cumprimentou normal e a namorada dele perguntou pq eu não fui mais lá e eu respondi que é pq to trabalhando muito e olhei pra cara dele e ele tava com cara de merda. Mas também não voltei mais lá. Todo domingo, a noite eu costumava ir comprar pizza sozinha em um determinado lugar, sentava pra tomar cerveja até ficar pronta. De uns meses pra cá, o dono começou com umas conversas estranhas, ele não falava de sexo diretamente, ficava me elogiando, ele tinha um jeito sutil de dar em cima, sem deixar na cara as intenções e eu só ignorando ou mudando de assunto. No último domingo, sai pra tomar cerveja com um cara da internet. E nem acabou a primeira latinha e ele já começou falando que eu sou linda, gostosa, bla bla bla, que queria ir pro motel… Isso começou a me irritar e comecei a repetir tudo o que ele falava alto pra todo mundo ali ouvir: – Quer ir no motel comigo? – E ele pedia pra eu falar baixo. Até que decidi que ia embora dali e começou um toró de chuva. Esperei e dispensei ele logo. Fui pra pizzaria e quando o dono começou com aquelas conversas, já mandei parar pq eu não tava boa. Quando cheguei em casa, ele me add no facebook com o perfil de um funcionário dele e veio perguntando se eu tava pelada, qual era a cor da minha calcinha. Eu deixei falando sozinho, ai falou: – Fica no face pra não responder nada porra, vai dormir! – Deletei na hora. E não vou voltar mais lá, quando por um acaso encontrar com ele na rua e ele perguntar pq não apareci mais lá, vou gritar pra todo mundo na rua que ele é um tarado, desgraçado, entre outras, pra ele comprar um espelho pq homem se oferecendo já é ridiculo, feio então, pior ainda. Nunca dei motivo pra esse idiota falar assim comigo, aposto que ele não fica assediando outros clientes homens ou mulheres acompanhadas se seus “donos”. Não sei se é por causa das minhas roupas, mas prostituta, eles sabem que não sou, e mesmo que fosse, isso não dá o direito de ficar assediando e perturbando. Se eu tivesse afim de algum desses trastes, eu aceitaria na hora, não sei porque ficam insistindo. Ando de saco cheio de me socializar com homens. Lei pra nos livrar desses tarados tanto na vida real, quanto na internet não tem mesmo. Deixo a dica pras mulheres: quando um cara começar a se oferecer pra vc, se tiver outras pessoas por perto, comece a falar alto o que ele disser que ele vai parar. Se não tiver ninguém, mande parar imediatamente porque você nunca deu moral pra isso.