“SAI, CARALHO, CÊ TÁ LOUCO?” – 650

650 – “Ato contra a cura gay na Roosevelt. Conversando com um pessoal, vi um cara subindo a escada e vindo na minha direção. Imaginando que ele quisesse apenas passar, dei um passo pro lado. Ele não queria passar: eu andava pra trás e ele vinha chegando, chegando, quase encostando o corpo em mim. Então gritei bem alto: “SAI, CARALHO, CÊ TÁ LOUCO?” Umas pessoas olharam e abriram caminho pra ele passar sem fazer o mesmo com outra pessoa. Foda foi ver o cara sair de lá rindo da minha cara. Patife.”