se aproximou MUITO do meu rosto, com um sorriso imbecil – 753

753 – “Olá! Queria compartilhar anonimamente algo que aconteceu comigo. Não é nada tão grave quanto outros depoimentos da página, mas me assustou e chateou bastante. Eu estava na Paulista, já era noite (por volta de 20h), e sentei em uma mureta para esperar meu namorado passar para me pegar. Achei que estava segura, já que era sexta-feira e tudo está bem movimentado a essa hora. De repente, um cara visivelmente alterado (ele estava andando de um jeito estranho, meio cambaleante) passa na minha frente, me olha, volta atrás e fica de pé ao meu lado. Meu coração disparou e eu, tentando não deixar o medo transparecer, levantei e fui andando na direção oposta, procurando um lugar onde pudesse entrar. Fiquei parada um pouco adiante, sem saber bem o que fazer, quando vi o cara vindo na minha direção. Ele parou na minha frente e se aproximou MUITO do meu rosto, com um sorriso imbecil de quem sabia que estava me assustando, e perguntou se podia falar comigo um minuto. Eu disse “Não, desculpa, tô esperando meu namorado”, e saí, deixei ele falando sozinho. 10 segundos depois, vi o cara fazer o mesmo com outra menina, que não conseguiu se livrar dele com a mesma facilidade. Eu fiquei olhando pra ter certeza de que ele não ia fazer nada, mas não tive coragem de intervir. Ele começou a tocar os braços e o cabelo dela, que se afastava e ria constrangida. Me sinto um lixo porque senti medo demais para fazer alguma coisa. Fui covarde, devia ter entrado no meio, puxado a garota pra fora dali… Felizmente, ela conseguiu se desvencilhar. Quem não conseguiu se desvencilhar do sentimento de covardia fui eu…”