sei que o que ele sente é obsessão, não amor – 1028

1028 –    Bom dia!  Li esse relato [1026] do início ao fim e gostaria de dizer à garota, caso ela leia, que a culpa não é dela. Aliás, não é culpa sua. Você não tem que se sentir culpada por não gostar dele. Você tem o direito de ser feliz, livre e amada.
Espero que seja forte e consiga confiar em alguém de novo, pois compreendo sua situação por ter vivido algo parecido em 2011. Vou tentar resumir minha situação porque ainda dói muito lembrar disso, visto que esse garoto arruinou completamente a minha vida. Tem gente que desmerece meus relatos por se tratar de uma relação virtual, mas o que pouca gente sabe é que a perseguição virtual é até pior. Só peço que não me julguem porque na época em que o conheci eu não tinha acesso às páginas feministas, não tinha ideia de quantas meninas e mulheres sofriam abusos físicos, emocionais e essas páginas me ajudam a saber que não estamos sozinhas. Obrigada!

“Eu conheci esse rapaz num site onde postava minhas webnovelas, ele deixou comentário em uma delas e implorou para que eu o adicionasse no Orkut. Adicionei e ele insistiu para que o deixasse uma mensagem. No início eu estava em tratamento para um transtorno alimentar e estava emocionalmente abalada. O S* se mostrava muito atencioso, se descrevia como um príncipe, mas quando mostrou a foto, eu não senti nada demais, inclusive achei que ele mentia. Com 3 dias de conversa, ele insistia em namorar comigo, mas eu estava gostando de outra pessoa, não achava seguro namorar virtualmente com alguém que eu nem conhecia direito. Sentia culpa porque ele insistia muito.
Ele roubou a minha webnovela para postar na página dele, vivia me rebaixando, criticando tudo que eu fazia e ao mesmo tempo dizendo que no mundo ele era o único que me entendia e gostava de mim. Eu não sabia que ele já estava ignorando o meu “não” e que o mais cabível era me afastar. Talvez falem que eu gostava disso, mas não tinha forças, estava sofrendo e não percebia. Por exemplo, se eu não entrasse no msn numa noite, ele deixava mensagens offline me ofendendo, tirando satisfações.
A gota d’água deveria ter sido quando eu fiquei doente, me afastei da internet e ele ameaçou se matar no mural do meu facebook em caps lock, em março de 2011. Muitos amigos meus, chocados, me excluíram. Outros se afastaram. Eu, chorando, entrei imediatamente no msn para negociar com ele, que colocando emoticons de riso, avisou que era uma pegadinha. Dali em diante, ele começou a se sentir meu dono. Eu não podia postar nada no facebook que vinha ele com caps lock e quatro pedras na mão me ofender diante dos meus amigos e conhecidos. Quando eu respondia, ele me chamava de vagabunda, prostituta, dentre outros absurdos e colocava embaixo que me amava. Quando algum amigo meu vinha tomar satisfações com ele, o S xingava e mandava a pessoa não se meter. Com isso, meus amigos foram ficando com medo e parando de falar comigo.
Eu pensava em me afastar dele porque as brigas acabavam comigo, eu sabia que aquilo não era amor. Tentei da primeira vez e a culpa não deixou, ele vinha dizendo que tinha problemas em casa, que a mãe dele se casou pra sair de casa, que ele não sabia o que era o amor, fiquei com dó, pensando que talvez eu gostasse dele, mas mal sabia que estava manipulada. A ideia dele era me dominar e foi o que ele fez.
Aquele ano a melhor coisa que me aconteceu foi conseguir, indiretamente, através da minha personagem Laly, falar sobre o abuso porque a Laly de Confissões de Laly foi estuprada pelo próprio noivo que a perseguia e colocava ela contra todos. Era onde eu desabafava. Postei essa webnovela no Fanfics Brasil, na época ela fez um sucesso estrondoso porque muitas meninas se identificaram com a protagonista e ele, com inveja, vivia me xingando nos comentários, me prejudicando, inventando perfil falso pra me difamar.
Sabem o que ele dizia quando eu pedia pra me afastar: que ele tinha 106 comprimidos na mochila dele, que se eu ousasse a abandoná-lo, ele iria ingerir esses comprimidos todos. Era uma pressão muito grande nos meus ombros, eu tinha medo de que ele fizesse isso. Em começo de 2012, ele fez. Disseram que ele morreu por minha culpa. Eu vivia tendo pesadelos, até pensei em me suicidar de tanto desespero, mas em final de fevereiro de 2012 eu descobri que ele estava vivo e muito vivo, com vigor o suficiente para me perseguir e foi o que ele fez, estragando minha paz, meu recomeço, minhas amizades, fazendo o maior escarcéu e dissimulando.
Em diversas ocasiões ele, que mora em Juíz de Fora, ameaçou vir pra Curitiba a fim de me encontrar. Falam que isso é bobagem, mas eu tenho medo sim. Lógico que tenho medo.
No ano passado ele descobriu o meu blog pessoal, pois tive que me retirar daquele site, o Fanfics Brasil, por causa dele que me mandava mensagens horríveis no reservado e o dono do site era amigo íntimo dele, por isso me prejudicava e não bania o S.
Ele fez o maior barraco no meu blog, soube que eu estava postando meus trabalhos em um site e não sossegou enquanto não fez o que o site fechar. Primeiro disse que estava praticamente casado com uma menina, me manipulou a ponto de eu sentir culpa por não querer respondê-lo e eu mandei um e-mail a ele, que deu a entender que não desistiria de me ver, dizendo que o amava. Isso me deu tanto nojo, me perdoem! Parece que quando ele fala em amor me dá asco, um desprezo horrível, pois sei que o que ele sente é obsessão, não amor.
Sei que a história é grande, mas ainda não terminou. Ele até sossegou durante uns meses, mas no domingo passado achou meu facebook e teve a cara de pau de me adicionar. Foi um soco no estômago. Eu sofro porque enquanto ele continua aprontando, eu não confio mais em nenhum garoto, não consigo me abrir com ninguém, tenho medo que todos sejam maus, obsessivos, grosseiros, machistas, chantagistas. Eu nunca mais nem consegui olhar nos olhos de um homem e fico me perguntando se algum dia eu vou conseguir esquecer esse monstro que me fez tanto mal e ser feliz com alguém.”

Por favor,não me julguem!