Tive sorte: o rapaz foi simpático e respeitoso – 1500

1500 – Estava voltando pra casa essa semana, sozinha, pela meia noite. Moro no exterior, numa cidade tranquila, que me permite andar por aí mesmo de madrugada. Quando já estava perto de casa, vi dois caras na calçada e segui meu caminho pelo outro lado, já por costume e por saber o que podia acontecer. Mas um deles me viu passando e atravessou… Só a gente sabe o que é a sensaçao de estar completamente desamparada nessas horas, sem saber se vai receber só um oi ou se vai ser estuprada. Tive sorte: o rapaz foi – pasmem – simpático e respeitoso. Perguntou se podia falar comigo, quando eu disse que não, ele me desejou boa noite e bom dia seguinte e voltou pra onde estava, com o amigo. Por acaso isso terminou bem, mas acho que todo o medo que senti quando vi ele atravessar resumiu claramente, pra mim, a marca que tantas invasões deixam na gente. Eu queria um dia poder tirar essa bagagem das costas.