*TRIGGER WARNING* Fiquei tentando entender o que estava acontecendo, quando entendi fiquei paralisada – 1987

Bom, tenho uma grande dificuldade em falar no que ocorreu, bloqueio essa memória na mente o tempo todo. Incrível como nos sentimos culpadas quando algo assim acontece, e como as pessoas de fora também acham que provocamos isso.

Em um feriado juntamos um número de amigos e alugamos uma casa na praia. Nessa galera tinha alguns meninos que eu não conhecia, e um deles me chamou a atenção. Era bonito, simpático, engraçado, aquele tipo de cara que todos notam a presença, tem um perfil cativante. À noite nos reunimos todos na sala, começamos a fazer brincadeiras de beber dessas que se aprende na faculdade.
Eu sou fraca pra bebida, ela me afeta muito rápido. Logo comecei a ficar tonta, me senti mal então pedi licença e fui para a minha cama na parte de cima de uma beliche deitar para ver se melhorava. Acabei apagando, enquanto todos continuavam na sala.
Acordei num susto muito grande, eu estava de bruços e tinha alguém em cima de mim. Fiquei tentando entender o que estava acontecendo, pois ainda estava sob efeito do álcool, quando entendi fiquei paralisada. O tal menino subiu na minha cama, abaixou o short do meu pijama e estava fazendo aquilo.
Aquilo realmente estava acontecendo comigo, e eu não conseguia acreditar, não conseguia ter alguma reação. Me senti suja, me senti culpada, comecei a achar que eu tinha provocado aquilo. Foi uma mistura de sentimentos, repulsa, medo e vergonha que eu simplesmente não consegui reagir. Fiquei paralisada esperando ele terminar, escutando as risadas do pessoal que ainda conversavam na sala. Quando ele acabou, deitou do meu lado e dormiu. Fiquei parada na cama tentando assimilar tudo aquilo, não consegui dormir. Quando o restante da galera foi dormir, já estava amanhecendo, desci da cama com cuidado para não acordá-lo e fui tomar um banho chorando no banheiro. Fiquei lá fora no quintal fumando um cigarro e tomando um café com a casa silenciosa, e passando mil coisas na minha cabeça. Duas amigas acordaram, eu puxei elas para conversar e contar o que aconteceu mas o que escutei delas me deixou pior. Elas pediram para eu não acabar com o feriado, acharam legal o que aconteceu porque eu consegui ficar com o rapaz mais desejado da casa e que eu tava afim dele mesmo então não tinha problema.

Só que eu não fiquei com ele, não foi consentido!

Quando você cria forças para tocar no assunto, e não recebe apoio, você se fecha, não toca mais no assunto, só te faz sentir mais culpa, mais vergonha e você é obrigada a aceitar o que aconteceu como se fosse algo normal. Quando ele acordou, as meninas começaram com piadinhas sobre o novo casal da casa, ele sorriu sem graça e me cumprimentou com um selinho. Não falava comigo direito e mal olhava na minha cara, aposto que era vergonha. Fui na farmácia sozinha comprar a pílula do dia seguinte, rezando pro feriado acabar o mais rápido possível e para nada de pior acontecer.

É a primeira vez que falo nesse assunto desde aquele dia. Ver os depoimentos de outras meninas nessa página me fez perceber que não somos culpadas e que não é normal. Gostaria de ter essa percepção naquele dia, queria ter tido força pra reagir do jeito que ele merecia. Mas acredito que a gente colhe o que a gente planta, e a vida vai se encarregar para que ele aprenda e pague pelo que fez. É nisso que preciso acreditar.