Um cara dentro de uma garagem em frente – 1986

Por que sou feminista?
No sábado, às 6 horas da tarde, horário que o sol em Santarém ainda “queima”, estava no ponto de ônibus e percebo que um cara dentro de uma garagem em frente , tira o pênis da bermuda e começa a se masturbar.
Nesse momento eu estava sozinha na parada.
Fiquei assustada, pensei em gritar pra alguém, pensei em jogar pedra nele e xingá-lo, mas não consegui ter nenhuma dessas reações. Mesmo ele estando em uma distância que não podia me tocar, fiquei com medo, me senti impotente pelo medo, chorei.
A única coisa que eu queria era sair dali. Peguei o primeiro moto-táxi que passou, o nervosismo era tanto que o moto-taxista percebeu.
Esse cara escroto(me perdoe a expressão) se achou no direito de mostrar o órgão sexual, reproduzindo a mentalidade que mulheres estão sempre vulneráveis ao ato sexual masculino dominador, comportamento esse que gera uma experiência traumática pra quem passa por ela, comportamento que chega a roubar a mulher do espaço público.
Quantas mulheres passaram ou passam por isso diariamente?
Quantas têm medo de sair às ruas sozinhas ou em determinados horários com medo de assédios?
Quantas não tem coragem de romper o silêncio em relação a essas experiências?
Mas Fulana, com que roupa tu estava?
NÃO INTERESSA!
Minha roupa não é um convite, estar sozinha não é um convite pra esse tipo de abordagem! O feminismo me mostra que a culpa não é minha!
Por todas as irmãs oprimidas, assediadas, que sofrem e sofreram esse tipo de violência,
Não nos calaremos! Não vamos nos esconder nas nossas casas!
Ocuparemos sim os espaços públicos, quando e como quisermos e quem deve recuar é o machismo e seus reprodutores!

Sou de Santarém do Pará, isso aconteceu dia 25