um homem ficou me encarando com aquele tipo de olhar – 800

800 – “Esses dias passei por uma situação terrível, porém a atitude de uma pessoa fez com que isso mudasse.
Como sempre, eu pego ônibus da minha cidade pra outra vizinha e vice versa, e estou “acostumada” (detalhe para as aspas, por favor) a receber olhadas nojentas, mas hoje foi O dia em que eu senti um medo incrivelmente grande. Assim que entrei no ônibus, percebi que um homem ficou me encarando com aquele tipo de olhar. Até ai “ok”, sentei no fundo como de costume, não demorou muito para que ele me seguisse até lá, e sentar-se do meu lado (foi ai que percebi o cheiro forte de álcool). Enquanto o tempo passava eu só percebia o quanto que os olhares nojentos pioravam, e que ele falava coisas as quais recusei-me ouvir (coloquei os fones de ouvido). Enfim, após longos 15 minutos de medo (pode parecer pouco, mas quando se está com medo, qualquer um minuto é uma eternidade), o homem desceu. Logo em seguida, era o ponto em que eu tinha que descer, e junto comigo, desceu uma senhora com seus 60 e poucos anos e magrinha/fraquinha de tudo, a qual me chamou atenção quando veio falar comigo: “Eu vi tudo o que aconteceu, desde quando vc entrou no ônibus, e vi que aquilo podia não dar certo. Por isso, eu fiquei apenas observando: caso aquele homem tomasse alguma atitude/fosse pra cima de vc eu não ia hesitar em empurrá-lo! Eu simplesmente não poderia ver uma atitude desse tipo e ficar sem fazer nada. Acho muito errado quando as pessoas veem atrocidades como essa e não fazem nada para parar ou impedir”. Agradeci a senhora pela sua postura e fui embora. Isso foi o que mudou o meu dia, ver que nem todas as pessoas são egoístas, saber que uma pessoa colocaria a sua vida em risco (pois era evidente que a senhora tinha uma força bem menor que a do homem) para defender outra.”