um moleque dentro de um ônibus: “Sapatão! Vou te estuprar!” – 988

988 – Tive três casos de violência de rua acontecendo comigo. O primeiro foi quando eu tinha 15 ou 16 anos e estava voltando pra casa do colégio. Era um dia frio e eu estava de boné, camiseta por baixo da regata do uniforme, calça e tênis. Passando num sinal, um moleque dentro de um ônibus começou a gritar, “Sapatão! Vou te estuprar!” e eu não consegui acreditar naquilo. Reuni toda a coragem e mostrei o dedo do meio pra ele. Esse foi o primeiro caso.

O segundo aconteceu ano passado, comigo com 19 anos. Estava indo pra academia num dia chuvoso, com o “uniforme” feminino – calça legging, regata, essas coisas. Um cara numa van parou e começou a fazer gestos e barulhos nojentos, e eu olhei bem pra cara dele e mandei o dedo do meio de novo. Saí correndo pra academia depois daquilo.

O terceiro aconteceu esse ano, num terminal rodoviário. Indo pro banheiro, um cara parou, olhou bem pra mim e disse “Ai, que morena” num tom escroto. Parei, abri os braços e fiquei olhando pra ele com cara indignada, e perguntei “qual foi, irmão?”. Ele não respondeu.

Ainda tenho muito medo de responder a esse tipo de coisa, mas fico tão irada que não consigo não reagir de qualquer forma.