um rapaz assoviou pra mim e se virou, já se masturbando – 611

611 – Li um relato de uma moça que foi assediada quando saía da escola e me lembrei de um episódio semelhante que passei. Tinha aproximadamente 14 anos, saí da escola e passei por um caminho que não costumava tomar. Estava indo toda feliz na minha bike, quando um rapaz de uns 17 anos, que estava no canto de um prédio, assoviou pra mim e se virou, já se masturbando. “SOME DAQUI SEU BOSTA, SOME DAQUI SEU LIXO, ANTES QUE EU QUEBRE ESSE SEU CARRO TODO, SOME DAQUI!” Eu acelerei a pedalada e um pouco à frente encontrei um homem descarregando um caminhão de bebidas, e desesperada gritei “Moço, me ajuda, que um rapaz ali mexeu comigo, mostrou tudo!”. O cara simplesmente me disse “Ué, chama a polícia” e continuou o trabalho dele. Fiquei sem graça, e até achei que exagerei na reação. Fui pra casa e liguei pra polícia, foram muitos solícitos mas não conseguiram encontrar o cara que me assediou. Hoje penso o porquê do homem pra quem pedi ajuda não ter esboçado o menor espanto com meu desespero: será que a cultura machista do estupro está tão arraigada que acham normal uma menina de 14 ser submetida a esse tipo de assédio? Fora as centenas, milhares de “cantadas”, abusos e estupros que sofremos todos os dias, independente de nossa idade, classe social ou qualquer outra coisa. Se tivesse acontecido algo mais grave comigo naquela ocasião, certamente alguém me culparia, dizendo que eu estava numa rua deserta, que estava sozinha, que tinha o corpo bonito demais… Até quando vamos ter que suportar isso?