“Veio tão longe, acha que vai ficar só nisso?”.1119

1119 – Já li praticamente todos os relatos da página e resolvi contribuir. Infelizmente tenho vários deles mas vou selecionar dois que foram os piores pra mim.

[TRIGGER WARNING – relato de estupro]

Tenho a auto-estima muito baixa e por causa disso eu sempre aceitava ficar com os garotos que se aproximavam. Por ter vergonha do meu corpo (sou gorda desde pequena) eu não saia muito de casa e tinha mais amigos pela internet. Já viajei pra vários lugares e conheci vários deles. Sempre foi ótimo até a ultima viagem que eu fiz, há uns anos, pra o interior de Minas Gerais (desde então não viajei sozinha pra ficar casa de amigos).

Fiquei hospedada na casa de um amigo que até então eu só conhecia pela internet. A mãe e o irmão dele me trataram super bem, saímos juntos, foi ótimo. Na hora de dormir eu fiquei no quarto de hóspedes que ficava mais ao fundo da casa.

Lá pras duas ou três da manhã, ele bate na porta, eu abro e ele entra. Achei que só para conversarmos mas estava enganada. Ele começou a me beijar e me apertar e eu dizia que não queria. Empurrei ele com força pra longe mas ele voltou, me apertou com força (fiquei com hematomas no braços depois) e disse: “Veio tão longe pra me ver, ficar na minha casa e acha que vai ficar só nisso?”.

Eu comecei a chamá-lo de machista e a xingá-lo muito mas não adiantou, ele era mais forte do que eu. Quando ele terminou ele me deu um beijo e saiu sem falar nada.

Eu queria fugir, morrer, sei lá.. Não consegui dormir e chorei muito. Meu onibus só sairia de lá às 22h40 mas desde as 6h da manhã (quando a mãe dele acordou) eu fiquei esperando na rodoviária. Morrendo de medo dele aparecer lá.

Não contei isso a ninguem nunca. Mas imagino o que eu ouviria, “mas você foi pra casa dele, queria o que?” e coisas do tipo.

O segundo foi com meu atual namorado, moramos juntos há quase um ano. Ele é uma pessoa que eu me sinto bem na cama, é um momento ótimo e eu sempre disse isso a ele.

Um dia ele queria ir à uma festa e eu disse que eu não queria ir nem queria que ele fosse (eu havia pedido pra irmos mais cedo e ele disse que não queria, resolvi que não iriamos mais por causa disso).

Ele foi me beijando, passando a mão, eu pedi para que parasse, que eu não queria. Mas ele continuou. Não digo que foi ruim, apesar de eu não ter tido vontade, porque não foi. Ele foi bem mais carinhoso que o outro mas isso não muda o fato que também foi um estupro.

Quando terminou ele disse: “Fiz isso porque achei que você fosse ficar bem e me deixasse ir. Você sempre fica feliz quando transamos”.

Ele saiu e eu chorei muito. Em menos de uma hora ele voltou aos prantos, ajoelhou pedindo perdão e dizendo que era um monstro. Ele não conseguiu ir à festa, ficou na rua chorando por ter feito aquilo. Vi que ele estava sendo sincero e perdoei. Estamos juntos até hoje e sempre que lembro e falo com ele, ele pede desculpas e diz que também não consegue esquecer o quão monstruoso ele foi e o quão boa eu era por ter perdoado e continuado com ele.

Hoje em dia me sinto bem mais forte e desejo essa força a todas as meninas que leem a página e contribuem com seus relatos. Obrigada por esse espaço! É o que muitas de nós precisam.