“vem cá, suas putas! a festa é aqui mesmo!” – 796

796 – “Essa página tem me inspirado cada vez mais a não deixar nenhuma forma de abuso passar desapercebida. Ontem aconteceu uma coisa muito bacana quando eu estava na rua.

Eu sou muito cuidadosa com o meu cabelo. Ontem, por causa da pressa, saí de casa com ele molhado e, por isso, ficava toda hora tentando ajeitar os cachos no lugar. No meio do caminho, parei pra me olhar no reflexo da janela de um carro. Foi aí que passou um cara e disse “Tá linda desse jeito, princesa!”, daquele jeitinho malicioso que nós conhecemos muito bem. Mal ele acabou de dizer “princesa” e eu gritei “Não te perguntei nada, seu panaca!”. Nunca vou esquecer a cara de susto desse sujeito! Logo em seguida, lembrei do relato da moça da empadinha e pensei “Princesa o caralho! Eu sou uma Khaleesi!”

Da mesma forma, há uns meses atrás eu estava chegando na estação de trem quando duas moças bem arrumadas passaram e vários caras começaram a berrar loucamente: “suas gostosas!” e “vem cá, suas putas! a festa é aqui mesmo!”. As meninas abaixaram a cabeça e começaram a andar mais rápido, envergonhadas. Quando vi aquilo, meu sangue subiu, eu encarei os caras de peito aberto e gritei (gritei mesmo!): “Vocês têm que ter vergonha de tratar uma mulher desse jeito!” Na hora, os machões murcharam, ficaram caladinhos e de cabeça baixa. As meninas voltaram a andar de cabeça erguida, com um baita sorriso no rosto.

Bom, era isso que eu queria compartilhar. Força, meninas! Não se calem! “